Nossa Senhora da Conceição

No ano de 1800, o governador da Capitania do Espírito Santo, Antônio Pires da Silva Pontes, subiu o Rio Doce, a partir da sua foz. Estava, então, deflagrada, a hostil convivência entre os brancos invasores e os verdadeiros donos das lagoas, matas e do Vatu (primeiro nome dado ao Rio Doce), os índios botocudos – que habitavam o lugar e vieram a destruir, inteiramente, o primeiro povoado.

Em 1809, o governador Manoel Vieira de Albuquerque Tovar fundou na região uma povoação sobre os escombros do antigo Quartel Coutins e deu-lhe o nome de Linhares, em homenagem a dom Rodrigo de Souza Coutinho, o conde de Linhares. O povoado ficava situado num platô em forma de meia-lua, às margens do Rio Doce. No leste e no oeste do povoado ficavam situados dois quartéis militares para avisar a população de prováveis ataques dos indígenas: um quartel situava-se onde hoje é o Bairro Aviso (daí surgiu o nome). O outro localizava-se nas proximidades de onde se encontra o Colégio Estadual atualmente.

Um ano depois, o povoado foi elevado à Paróquia. Em 1813, Linhares recebeu o padre Pedro do Rosário Ferreira.

Em setembro de 1817, foi iniciada a construção da primeira Igreja Católica de Linhares, que recebeu como padroeira Nossa Senhora da Conceição. À época, Linhares contava com 305 moradores.

A capitania do Espírito Santo foi governada entre os anos 1812 a 1819 por Francisco Alberto Rubim.

O Governador Rubim foi parabenizado por D. João VI pelos esforços empreendidos em favor do desenvolvimento do Espírito Santo, como: a abertura de estradas, a expansão de lavouras, o incentivo à mineração e o melhoramento das condições de navegação. Rubim também levantou importantes construções no Espírito Santo, como: a Casa de Misericórdia e a reforma do Forte São João. Todas essas melhorias incentivaram a vinda de imigrantes.

Em 1819 é feita, por ordem de Francisco Alberto Rubim, uma “Vista e Perspectiva do Povoado de Linhares” e a construção da primeira igreja, patrocinada por Rubim. O povoado foi construído em volta de uma praça quadrada – atual Praça 22 de Agosto – que guarda até hoje seu traçado original. Nessa praça que os índios dançavam e cantavam no passado.

Em 1825, a Igreja quase foi destruída por um vendaval e os cupins acabaram com seus escombros em 1857.

Em 1859, Francisco Ravara concluiu uma capela, onde, segundo indícios, dom Pedro II participou de uma missa, celebrada em 5 de fevereiro de 1860. Esta igreja, onde hoje é a igrejinha da Rua da Conceição, foi concluída em 1888, sob o nome de “Matriz de Pereira Carvalho”. Nos primórdios da cidade, diversos padres, frades e cônegos passaram pela região. Mas, apenas em 1944, Linhares ganhou um padre que passou a residir no local, o padre Aníbal Ademar Vieira da Cunha.

Questões políticas
Por volta do ano de 1840, Linhares fazia parte de um território tão extenso que encampava os atuais municípios de Colatina, Baixo Guandu, Pancas, São Gabriel da Palha e parte de Ibiraçu, Santa Tereza e Itaguaçu.

A vila, à época chamada “Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Linhares”, foi criada em 21 de agosto de 1833, sendo que a primeira sessão da Câmara de Vereadores aconteceu logo no dia seguinte. Nesta época, Linhares contava com 713 habitantes. Em 1841, Linhares perde a condição de vila e passa a pertencer a Colatina. Nestes cerca de 200 anos, Linhares recebeu pessoas ilustres como o Imperador dom Pedro II, em 1860, e o presidente Getúlio Vargas em 1954.

Em 1943, o Governador Jones dos Santos Neves sanciona um decreto recriando o município de Linhares e nomeando o primeiro prefeito: Roberto Calmon.

Em 1947, o então prefeito Manoel Salustiano de Souza instituiu o dia 8 de dezembro como feriado municipal por se tratar o Dia da Padroeira. Em 18 de setembro de 1960, o cônego Henrique Zampereti, juntamente com o bispo dom João Baptista da Motta e Albuquerque, lança a pedra fundamental da Igreja Matriz de Linhares, dedicada a Nossa Senhora da Conceição.

Atualmente, mais de 130 mil pessoas vivem em Linhares. Rogamos para que todas se lembrem de agradecer a Deus, nosso Pai, pelos trabalhos evangelizadores de todos os religiosos que por aqui passaram e os que aqui estão.

Não nos esqueçamos também de rogar bênçãos celestiais de Nossa Mãe Protetora, Nossa Senhora da Conceição, sobre esta terra abençoada e todo seu povo.

Horário de missas: na Igreja Matriz: de segunda a sexta-feira, às 12h; quarta, às 19h; quinta, adoração ao Santíssimo, às 19h; domingo, às 7h, às 17h (com participação da catequese) e às 19h. Na Igrejinha: quarta-feira, às 6h30 e 19h.

Horário de confissões: terças e quintas, das 8 às 11h e das 14 às 17h

Atendimento da secretaria: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h30 e das 13 às 17h; assuntos referentes a matrimônio: de segunda a sexta-feira, das 13 às 17h

Setor:
Área Pastoral da BR 101 Norte
Rua:
Avenida João Felipe Calmon
Número:
919
Bairro:
Centro
Telefone:
(27) 3264-0560
Cidade:
Linhares
Estado:
Espírito Santo
E-Mail:
[email protected]
Cep:
29.900-010
Caixa Postal:
13
Horários de Missa:
Domingo
12:00h
Segunda
12:00h
Quarta
12:00h
Quinta
12:00h
Sexta
12:00h
Padres: