Nossa Senhora da Saúde

Os imigrantes italianos que colonizaram o Estado do Espírito Santo vieram, em sua maioria, da região de Veneza. Ali, duas grandes devoções marcam o coração de seus habitantes: São Marcos e Nossa Senhora da Saúde. É por isso que, em Ibiraçu, os imigrantes italianos construíram, logo que chegaram, a capelinha de Nossa Senhora da Saúde, na segunda metade do século XIX.

Foi a primeira igrejinha construída na região. Uma família trouxe em sua bagagem um quadro de Nossa Senhora da Saúde que foi colocado na capela. Mais tarde, este quadro foi substituído pela imagem que permanece até hoje no local. As famílias se reuniam aos domingos para fazer as orações e recitarem as ladainhas de Nossa Senhora. Por ser a primeira e única igreja da região, muita gente comparecia. Ali, realizavam-se as festas, os leilões e os batizados. Os devotos traziam ofertas valiosas em agradecimento pelas graças alcançadas por intercessão de Nossa Senhora da Saúde. 

Por volta de 1952, a festa foi transferida para o Seminário Nossa Senhora da Saúde. Em 1997, dom Geraldo Lyrio Rocha, então bispo da Diocese de Colatina, convocou os fiéis para celebrarem a festa de Nossa Senhora da Saúde novamente na igrejinha e, em 21 de dezembro de 1998, em solene celebração, o bispo eleva a igrejinha de Nossa Senhora da Saúde a Santuário Diocesano.

No dia 16 de julho de 2007, dom Décio Sossai Zandonade, já bispo de Colatina, entrou com um pedido junto à Congregação do Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos para elevar Nossa Senhora da Saúde a padroeira da diocese. Sua solicitação foi aceita por essa instância, com aprovação do papa Bento XVI, no dia 29 de setembro do mesmo ano.