30 de Novembro de 2018

Bispos e assessores da Pastoral Familiar se reúnem em Encontro Nacional

Publicado por

“A eclesiologia do Papa Francisco e a Pastoral Familiar numa Igreja em saída” é o tema do Encontro Nacional de Bispos Referenciais e Assessores da Pastoral Familiar, que acontece nesta semana, em Salvador (BA). O coordenador da Pastoral Familiar na Diocese de Colatina, padre Paulo Sérgio Ribeiro Barbosa, está presente neste evento.

O trabalho conta com a assessoria do doutor em teologia e padre jesuíta Mario de França Miranda. Padre Mario colaborou na elaboração do Documento de Aparecida, em 2007, foi assessor da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) e, atualmente, é professor associado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

O encontro, organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, através da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF), reflete sobre a assessoria da Pastoral Familiar no Brasil a partir dos ensinamentos do Papa Francisco para que a ação evangelizadora chegue, de forma mais eficaz e atual, à vida das famílias.

“Mais do que um manual do usuário, esses encontros têm a finalidade de proporcionar uma compreensão mais aprofundada da realidade na qual vivemos e do desígnio de Deus que a cada um envolve, de maneira tal que as famílias, os grupos de Pastoral Familiar e os Movimentos Familiares tenham mais elementos para avaliar seus ambientes e elaborar ações que possam dar respostas aos desafios enfrentados”, destaca o bispo de Camaçari (BA) e membro da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom João Carlos Petrini.

 

Temas

Documentos e declarações do Papa Francisco a respeito da família, a começar pela Exortação Apostólica Amoris Laetitia, são objeto de reflexão nesses dias de evento. De acordo com dom Petrini, “o empenho das famílias em educar seus filhos na religião, para que aprendam valores cristãos e tenham critérios que orientem suas condutas segundo a sabedoria do Evangelho” podem contribuir para aliviar o sofrimento trazido pelo desemprego e a violência, por exemplo.

Para dom Petrini, o grande desafio para a ação evangelizadora da Pastoral Familiar é mostrar a beleza, a alegria e a paz que florescem quando o amor humano é vivido numa família cristã. “O desafio é documentar e testemunhar um tipo de vida mais carregado de significado, de beleza, de razões persuasivas, de dignidade e de grandeza na vivência do amor conjugal, da maternidade e da paternidade, quando se deixa iluminar pela Luz de Cristo”, ressalta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *